Fazenda Castanhal, Turismo Rural com aventura e conforto perto da cidade

Share This:

Chegar à Fazenda Castanhal é depara-se logo com um belo visual
Chegar à Fazenda Castanhal é depara-se logo com um belo visual

Para quem quer dar um tempo das estressantes atividades urbanas e curtir um pouco no interior sem abrir mão do conforto na hora de descansar ou dormir, Roraima dispõe de várias opções na área do Turismo Rural. Embora pouco se fale na imprensa ou nas redes sociais sobre o assunto, o Estado tem várias possibilidades.

E o site Roraima de Fato foi conferir uma delas: o Hotel Fazenda Castanhal, localizado no Município do Cantá, a Centro-Leste do Estado, perto de Boa Vista. Trata-se de uma opção para quem não quer se distanciar muito da Capital, pois o local fica a 70Km de Boa Vista pela BR-432, que é asfaltada até a entrada do trajeto para a fazenda.

O visual encanta na chegada, pois o visitante ou o turista logo vê a imponência da Serra Grande ao fundo da propriedade, como se ficasse emoldurando a encantadora paisagem. A serra “acompanha” o viajante durante a maior parte do trajeto na estrada, uma terapia para quem quer fugir do estresse e convite para boas fotografias da serra em vários ângulos antes mesmo de chegar ao destino final.

Mas não gaste toda a vontade de fotografar no caminho. Ao chegar à fazenda, o que não vai faltar são ângulos privilegiados para tirar fotos com a Serra Grande ao fundo, seja a partir do Rio Quitauaú, onde se pode fazer um passeio de barco ou mesmo uma pescaria, ou ainda a partir do imenso lago ao lado rio, aos fundos da sede da fazenda, a menos de 50 metros, onde também há um pier em que o visitante pode ir para apreciar a exuberante paisagem.

Tudo o que se fizer ali, a serra estará como cenário. Até mesmo o banho na piscina, cuja taxa já vem inclusa na diária do apartamento. Mas as opções são bem variadas: passeio a cavalo, caminhada, observação de pássaros, passeio de bicicleta, trilhas e pedalinho.

Quem não for muito chegado a aventura, pode ficar na sinuca perto dos apartamentos, no lounge onde há pufs, tapetes, almofadas e revistas, ou aproveitando o Wi-Fi para quem é da operadora Vivo (lá existe uma antena repetidora do sinal que quebra o galho dos que não conseguem ficar longe da internet e das redes sociais).

COMO CHEGAR ATÉ A SEDE DA FAZENDA

Chegar ao Hotel Fazenda Castanhal é fácil, mas é preciso atenção porque são duas estradas de acesso, o que pode confundir os menos atentos. Quem optar pela BR-432, há placas indicando o caminho a partir da rotatória que fica logo depois da sede do Cantá. A rodovia é toda asfaltada, mas é preciso ter cuidado com os buracos que se abriram ao longo da pista.

Ao chegar à rotatória, as placas indicam as opções dos dois trajetos. Seguindo direto, a pessoa vai chegar à Serra Grande I, com o acesso pela estrada de terra batida, com entrada à esquerda, passando praticamente ao pé da Serra Grande. É preciso ter cuidado com as pontes de madeiras, as ladeiras altas que tiram a visão do condutor e as curvas que podem surpreender, pois ali transitam ciclistas, motociclistas e animais soltos.

Quem optar por entrar à esquerda pela rotatória terá, também, uma parte de piçarra até a entrada para a Serra Grande II, à direita, onde o condutor obrigatoriamente terá que entrar. Tem placa sinalizando. A vicinal é menos acidentada, mas também requer atenção por ser estreita. Mas todo acesso está em boas condições, a não ser que chova, o que pode complicar um pouco.

São cerca de 70 Km de estrada até a fazenda. Tem a opção de ir pelo Haras Cunhã Pucá, onde o condutor irá andar por cerca de 50Km de rodovia de piçarra, também em boas condições, mas com pontes de madeira que exigem atenção redobrada.

PRESERVANDO A FLORESTA EM PÉ

Passeio na mata pode ser feito de triciclo ou a pé, sempre acompanhado de um guia
Passeio na mata pode ser feito de triciclo ou a pé, sempre com um guia

Além dos atrativos que a Fazenda Castanhal proporciona, tem ainda o bom papo dos proprietários, o casal Gerusa Oliveira de Moraes e Edson Carvalho. Eles tratam os clientes como se fossem conhecidos de longas datas e não se cansam de falar, com empolgação, de todo o empreendimento e os projetos que eles têm para melhorar o Turismo Rural.

Quem optar por ouvir as histórias com aventura pode contratar o passeio de triciclo com seu Edson como piloto, ou pedir que ele vá como guia na trilha no meio da mata virgem que cerca a propriedade a partir da entrada. Mas isso dependerá da disponibilidade dele, de acordo com o movimento na fazenda, pois o casal acompanha tudo de perto e ainda dá atenção aos hóspedes.

A caminhada de duas horas, indo e voltando, renderá bons papos e conhecimentos de quem ama a atividade que faz e que conhece bem os segredos da natureza. No trajeto desses dois passeios, se quiser, o visitante vai ouvindo, por exemplo, como o casal conseguiu transformar uma fazenda com uma pequena criação de vacas leiteiras, que servia mais como passa-tempo de fim de semana com amigos, sem aptidão nem experiência no ramo, em um hotel fazenda que se tornou em uma atividade rentável, que cria gado com a floresta em pé, preservando a natureza e dando melhores condições aos animais, além de gerar emprego e renda para a comunidade da Serra Grande.

Mas é bom lembrar que os funcionários estão habilitados também para exercer essa função de receber bem o visitante e ser o guia. Na chegada, eles recepcionam na porta do carro e levam logo a pessoa para conhecer toda a estrutura do local. Quem não conhece o lugar fica imediatamente por dentro do que tem de estrutura e de belezas naturais.

AVENTURA OU DESCANSO COM TODO O CONFORTO

Dando ênfase à preservação ambiental, a fazenda hoje se tornou uma referência em Turismo Rural. E não pense que ali é feito na base do improviso, sob a desculpa de que é um “lugar rústico”. Os apartamentos não deixam nada a desejar a um hotel de tradição e possuem suítes com banheiros, ar-condicionado e frigobar.

De quebra, os apartamentos estão no meio da natureza. Quem tiver sorte de encontrar reserva, pode pegar um apartamento em uma sacada, onde a visão da janela do quarto é privilegiada (o site não teve essa sorte, mas fotografamos assim mesmo de lá). As diárias variam de R$100,00 a R$150,00.

Mas os aventureiros e mochileiros também são privilegiados. A pessoa pode pagar uma taxa de R$10,00 para levar a rede ou montar a barraca de camping com visão para a Serra Grande. Ou alugar uma rede por R$15,00, a qual pode ser atada nas áreas abertas, porém cobertas, com jardins por onde circulam coelhos e outros animais domésticos.

As hospedagens podem ser reservadas para a partir das 12h de sexta-feira até as 17h30 de domingo. Os contatos são estes: (95) 9111- 7887 (Fazenda), (95) 9112-5277 (Gerusa) e (95) 8116 – 6221 (Edson).

QUARTO CASAL R$ 100,00
QUARTO TRIPLO R$ 120,00
QUARTO P/ QUATRO PESSOAS R$ 140,00
QUARTO P/ CINCO PESSOAS R$ 150,00
REDE (própria) R$ 10,00
REDE (alugada) R$ 15,00
BARRACA R$ 10,00

 

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Um Comentário

  1. Olha adorei e logo predendo conhecer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.