Wazaká, a ‘Árvore da vida’, e o surgimento do sagrado Monte Roraima

Share This:

Monte Roraima é considerado um lugar sagrado para os índios e mítico aos visitantes (FOTO PAULO LIEBERT/AE)
Monte Roraima é considerado um lugar sagrado para os índios e mítico aos visitantes (FOTO PAULO LIEBERT/AE)

Vir a Roraima é estar em contato com um mundo de mistério e magias. Para os índios nativos, a origem do mundo está aqui. E parece que muitos que já passaram por estas terras concordam com eles, a ponto de o Monte Roraima, nosso maior ícone, ter inspirado o livro The Lost World (no Brasil, O Mundo Perdido), romance britânico escrito por Sir Arthur Conan Doyle, lançado em 1912.

Esse livro gira em torno de uma expedição a um platô na bacia amazônica da América do Sul, onde animais pré-históricos (dinossauros e outras criaturas extintas) ainda sobrevivem. Esse é o mesmo autor de Sherlock Holmes.

Na verdade, o autor acaba descrevendo a mesma sensação que os aventureiros sentem quando sobem até o platô do Monte Roraima, que fica na tríplice fronteira Brasil, Venezuela e Guiana. Afinal, ele está entre as formações geológicas mais antigas da Terra. Seu surgimento data de quando os continentes ainda não haviam se separado, há cerca de dois bilhões de anos. Por isso  inspira inúmeras lendas e mitos.

Quando esteve por aqui, o antropólogo alemão Koch-Grünberg recolheu e publicou histórias dos índios no livro “Do Roraima ao Orinoco”, o qual inspirou Mário de Andrade para sua grande obra “Macunaíma” (não confundir com Makunaima – leia-se: MakunÁima). E o site Roraima de Fato vai contar essas e outras lendas que narram a criação de tudo que temos hoje por aqui, inclusive do Monte Roraima, morada de Makunaima (entidade sagrada para os indígenas). Veja abaixo:

jaider-esbell-4-e1429111571854
Quadro do artista plástico Jaider Esbell retrata a Wazaká

Conforme a narrativa dos índios, em tempos de seus ancestrais, existia a Wazaká, a “Árvore da Vida” ou a “Árvore do Mundo”, que ainda era desconhecida de todos, por isso Makunaima e seus irmãos estavam passando fome.

Somente Akúli (a cutia) estava sempre bem alimentado. É que Akúli havia encontrado a árvore Wazaká, que estava carregada de todas as frutas boas que existem nesta região. Mas ele não contou nada sobre a árvore para os demais e comia as frutas boas e trazia as imprestáveis para os outros.

Makunaima ficou desconfiado e um dia levantou os lábios de Akúli, enquanto ele dormia, e encontrou um grão de milho entre os dentes dele. Makunaima mandou vigiar Akúli para descobrir de onde vinha a comida.

Certo dia, eles seguiram Akúli e descobriram a árvore Wazaká. O irmão mais velho, Jigué, disse aos irmãos que comessem apenas as frutas que caíam no chão, mas Makunaima não concordou e derrubou a árvore, com raiva.

Conforme a lenda, Monte Roraima surgiu do tronco da Wazaká
Conforme a lenda, Monte Roraima surgiu do tronco da Wazaká

A árvore caiu para o norte, e é por isso que há diversas frutas silvestres naquela região, onde fica a Guiana. O toco da árvore se tornou o Monte Roraima, o gigante mítico que conhecemos até hoje.

O monte tem 2.734 metros de altitude e está localizado entre Gran Sabana (Grande Savana) da Venezuela e o Parque Nacional do Monte Roraima, do lado brasileiro.

CRIAÇÃO DOS PEIXES, DOS RIOS E DA INAJÁ

Depois de derrubada a Wazaká, a “Árvore da vida”, Jigué cobriu o toco da árvore com um cesto, e de lá saíam muitos peixes, os quais existem nos dias atuais. Makunaima então levantou um pouco o cesto e começou a jorrar muita água de dentro do toco, que era a seiva da Wazaká, formando os grandes rios que temos hoje no Estado.

Ninguém mais conseguiu conter a enchente. Makunaima e Jigué plantaram duas árvores de inajá e subiram nelas para esperar as águas baixarem. Jigué reclamou que as frutas do inajá não tinham gosto.

Então, Makunaima pediu uma fruta ao irmão, deu uma dentada nela e a esfregou em seu pênis para que ganhasse um gosto. Depois a devolveu a Jigué dizendo: “Experimenta agora”. Então, até hoje a árvore de inajá dá frutas na época das chuvas.

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

4 Comentários

  1. Pingback: Conheça a lenda sobre como Makunaima criou as pessoas após o grande incêndio – RORAIMA DE FATO

  2. ricardo toledo

    Tenho a impressão que todas as montanhas chamadas ‘mesas’ são troncos de árvores incrivelmente altas que foram cortadas por seres igualmente gigantescos há muitos milhares de anos.

  3. william Mateus

    “Ora, naquele tempo havia gigantes na terra
    GENESIS 6:4

Deixe uma resposta para william Mateus Cancelar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.