Conheça uma das várias lendas que fala sobre o surgimento de Makunaima

Share This:

Obra "Nascimento de Makunaima", do artista plástico Helton Faustino
Obra “Nascimento de Makunaima”, do artista plástico Helton Faustino

Há muito tempo, quando nossos ancestrais ainda nem existiam, o Sol era apaixonado pela Lua, mas nunca se encontravam. Quando o Sol se punha, era hora da Lua nascer. Viveram assim por milhões e milhões de anos até que um dia algo aconteceu em uma enorme montanha, muito alta, que repousa até hoje no meio dos imensos lavrados de Roraima.

Em cima desse lugar, que hoje se chama Monte Roraima, já existia um vale de cristais e um lago de águas cristalinas, os quais escondem os mistérios da natureza. Um belo dia, o Sol atrasou-se um pouco (eclipse) e o tão desejado encontro entre o Sol e a Lua aconteceu em cima desse monte.SOL E A LUA

Seus raios dourados refletiram, juntamente com os raios prateados da Lua, no lago misterioso. Nesse encontro, MaKunaima foi concebido! Macuknaima esperto, cheio de magias, teve como berço o Monte Roraima. Cresceu forte e tornou-se um índio guerreiro. Os índios Macuxi o proclamaram herói da sua tribo.

Reza a lenda que a bravura desse homem não se mede pelas armas que usou, mede-se pelos feitos que o tempo projetou. Makunaima era justiceiro.

ÁRVORE DE TODOS OS FRUTOS

Havia, próximo à montanha, uma árvore diferente, misteriosa. A Árvore de Todos os Frutos. Ela é chamada também de Wazaká. Dela nasciam, a banana, o abacaxi, enfim, todas as frutas tropicais. Ninguém podia apanhá-las! Somente Makunaíma colhia os seus frutos e os dividia entre todos igualmente. Mas a ambição tomava conta da tribo. Assim, os índios desobedeceram, mexeram na árvore, arrancando-lhe todos os frutos e quebrando-lhes os galho, para plantarem, pois, queriam mais árvores desse mesmo tipo.
A Árvore Sagrada perdeu a sua magia e Makunaima ficou furioso. Num gesto de justiça, queimou toda a floresta, petrificou a árvore e, amaldiçoando todos, ordenando que se fossem embora. Da imensa floresta verde restaram apenas cinza e carvão. E, até hoje, em frente ao Monte Roraima, está a Árvore Sagrada, petrificada. Macunaíma, em espírito, repousa, tranquilo, no Monte Roraima.

(Autor desconhecido)

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*