Passeio pelo Rio Parimé também pode ser uma aula de Geografia

Águas do Rio Parimé são as guardiãs do Sítio Arqueológico da Pedra Pintada
Águas do Parimé são guardiãs do Sítio Arqueológico da Pedra Pintada

Quem gosta não apenas de apreciar as belezas naturais de Roraima, mas também de conhecer um pouco de sua geografia, não pode deixar de visitar o Rio Parimé, que fica ao Norte do Estado.

O curso desse rio é a divisa natural dos municípios de Amajari e Pacaraima. Sua foz é o Rio Uraricoera, um dos principais que compõem a bacia hidrográfica do Estado. O Parimé é cruzado pelo trecho norte da BR-174, que liga Boa Vista a Pacaraima, município que fica na fronteira com a Venezuela.

Rio Parimé é o divisor natural dos limites dos municípios de Amajari e Pacaraima
Rio Parimé é o divisor natural dos municípios de Amajari e Pacaraima

Embora fique em terra indígena, é possível visitar e até tomar banho no Rio Parimé, que também serve de porta de entrada e de proteção para o Sítio Arqueológico da Pedra Pintada, patrimônio histórico protegido por lei.

Serve de proteção porque, para se chegar à Pedra Pintada é preciso atravessar as águas com a forte correnteza do Rio Parimé, no período de chuvas (o inverno roraimense). No período de seca (o verão roraimense), é possível até atravessar a pé.

Pedras parecem esculturas à margem do Rio Parimé
Pedras se parecem a esculturas à margem do Rio Parimé

A entrada é pela BR-174, a cerca de 130Km de Boa Vista. Depois, a partir da entrada, é preciso percorrer mais cerca de 10Km até chegar no ponto do rio que serve de entrada para a Pedra Pintada.

Para apreciar o sítio arqueológico não precisa nem atravessar o rio. Da margem direita, onde há uma pequena elevação, tem-se a visão panorâmica das três principais pedras que compõem o sítio arqueológico.

No inverno, banhistas precisam tomar cuidado com as fortes correntezas
No inverno, é preciso tomar cuidado com as fortes correntezas

Lá é local também aonde as pessoas vão apenas para tomar banho nos fins de semana e feriados ou até mesmo para pescar. Mas o recomendado para se tomar banho é no verão mais intenso, a partir de novembro até março, quando o rio fica seco e as pedras surgem em seu leito.

Tomando as precauções necessárias, é um passeio perto, numa rodovia pavimentada e de boa qualidade. A vicinal que dá acesso é de piçarra, com buracos que podem ser vencidos por carros pequenos. É uma boa opção para quem quer ver a Pedra Pintada numa visão panorâmica.

No verão, quando as águas baixam, imensas pedras aparecem
No verão, quando as águas baixam, imensas pedras aparecem
Compartilhe este post:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someonePrint this page

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*