EM PAUTA

Share This:

Legião de fakes socorre a prefeita

Recorte do vídeo gravado pela prefeita Teresa Surita

Depois de desafiada a assumir a causa das crianças venezuelanas que estão nos semáforos, por ser “Amiga da Criança”, a prefeita Teresa Surita (MDB) foi para a praça Simón Bolívar, que virou um acampamento de venezuelanos, para gravar um vídeo “pedindo socorro” ao Governo Federal, no sábado pela manhã. As imagens de seu depoimento foram postadas nas redes sociais e logo alcançaram mil compartilhamentos, 11 mil visualizações e 500 comentários.

*

Os números não causam surpresa porque Teresa tem uma legião de perfis “fakes” que  dão sustentação a ela nas redes sociais, não só para elogiá-la e ajudar a dar sustentação a suas divulgações, mas também para defendê-la. E foi isso o que aconteceu. De início, a prefeita começou respondendo a cada postagem, mas ignorando os internautas que a criticavam ou respondendo genericamente afirmando que a obrigação por abrigo, triagem na fronteira e assistência seria do Governo Federal.

**

Quando as críticas passaram a se intensificar, entraram em ação os fakes, que postavam seguidos parabéns à prefeita ou apenas desejando proteção de Deus a Teresa, além dos que só elogiavam por sua atitude e declaravam votos para governadora. Fazendo uma análise do perfil desses internautas, é fácil descobrir que a grande maioria são perfis não reais, todos de outras partes do país.

***

Esses perfis são geralmente de pessoas idosas ou de meia-idade, as quais não dominam bem a informática, por isso são as mais suscetíveis a terem suas contas invadidas e seus perfis “hackeados”. Ficou evidente isso porque esses perfis, no geral, têm como atualização apenas a troca de fotos do perfil feita há um certo tempo, alguns em 2013. Ou seja, é a legião fakes que dá sustentação à prefeita quando ela não tem mais argumento ou está sendo atacada.

Obrigação de quem mesmo?

 O vídeo da prefeita de Boa Vista pedindo socorro aos venezuelanos é emblemático, pois deixa as pessoas a creditarem que ela está fazendo uma cobrança de um ente muito longe e inatingível, o Governo Federal. O que o vídeo não explica é que o maior representante do Governo Federal em Roraima é o seu aliado e mentor político, o senador Romero Jucá (MDB), que é líder do presidente Michel Temer (MDB). Ou seja, Teresa Surita esconde da opinião pública que a situação dos venezuelanos é obrigação de seu grupo político e, por consequência, dela própria.

 

Jogando vôlei na rádio

IMAGEM: Jornal O Expresso

 No mesmo sábado em que a prefeita e sua cria foi lá com os venezuelanos, o senador Romero Jucá foi para uma de suas rádios fazer elogios a si mesmo, onde o locutor-apresentador se exibe no bom estilo jogador de vôlei, levantando a bola para o senador só cortar na boa. Quem ouviu o parlamentar sentiu a impressão de que ele construiu o Estado de Roraima. Só faltou ele  dizer que foi ele quem pintou a Pedra Pintada e encheu o Lago do Caracaranã. Jucá também falava como se fosse o prefeito, dizendo que mandou fazer isso e inaugurou aquilo, além do blábláblá de sempre.

 

 

 

Saúde no fundo do poço

O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado de Roraima (Sindprer) publicou uma nota, nas redes sociais, neste fim de semana, novamente desvendando a realidade da saúde pública. Não é nenhuma novidade, mas revela o quanto o Governo do Estado maquia as condições das unidades de saúde. A entidade sindical diz que a situação chegou ao “fundo do poço” e que os pacientes estão morrendo sem que enfermeiros e auxiliares possam fazer algo devido à falta de condições de trabalho, escassez de  medicação básica, falta de material e equipamentos.

Falta tudo nas unidades

O sindicato afirma que a situação é crítica na maior unidade do Estado, o Hospital Geral de Roraima (HGR), especialmente nos setores delicados como Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Grande Trauma (GT) e Pronto Atendimento (PA). Os profissionais relatam falta de medicação usadas em reanimação em parada cardiorrespiratória (Epinefrina), anestesia (Tramal), sedação em pacientes entubados (Noradrenalina, Midazolam, Propofol e Precedex), além de outros bem como seringas de 10ml e 20ml, equipo para aplicação de soros e equipo de bomba de infusão necessário para administrar medição de controle de fluxo e volume. Falta até material para higienização, com sabão líquido para lavagem de mãos, papel toalha e pessoal para limpeza;

Desfalque de funcionários

A grande preocupação é com o a anúncio que vem sendo feito pela governadora Suely Campos (PP) da inauguração do Hospital das Clínicas, no bairro Pintolândia, na zona Oeste. O sindicato afirma que já está faltando servidores para várias áreas no HGR e o governo ainda vai retirar trabalhadores do HGR e de outras unidades, desfalcando as escalas de serviços e  sobrecarregando ainda mais as equipes de enfermagem. E olha que o orçamento da Saúde é R$ 647.487.392 para este ano, mas a entidade sindical afirma que o governo não valoriza os profissionais, que estão com os salários defasados e atuando em condições precárias.

 Programa em ano eleitoral

Assessores e secretários da Prefeitura de Boa Vista estão compartilhando, via WhatsApp, um comunicado de que o município vai implantar um programa habitacional para servidores com de R$1.600,00 a R$2.350,00. As pessoas estão sendo orientadas a repassar essa informação e convidar os interessados a comparecer amanhã, dia 20, às 9h, no Palácio 9 de Julho, para uma reunião com representantes da Caixa Econômica Federal. Em ano eleitoral, tudo começa a aparecer. É a corrida em busca de votos.

 

 

 

 

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.