EM PAUTA

Share This:

No reino de Teresa, ‘pardais’ cheiram ruim

Denuncia sobre “indústria da multa” agora faz sentido (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Quando se pensa que nada mais vai sair do reino de Teresa Surita, a prefeita de Boa Vista que tem como mentor o senador Romero Jucá (ambos do MDB) e que quer governador o Estado de Roraima, surge mais essa denúncia na Folha de Boa Vista: “EMPRESA LIGADA A IRMÃO DE ADVOGADO DE JUCÁ COMANDA PARDAIS EM BOA VISTA”. Essa empresa ganha mais de R$ 3 milhões pelo contrato de 30 meses e, segundo o jornal, tem mais um valor mensal por câmera instalada. Detalhe: contrato sem licitação!

Agora está fazendo mais sentido a denúncia da “indústria das multas” a partir da instalação dos radares eletrônicos, chamados de “pardais”, que passaram a multar a torto e a direito os condutores de veículos. Conforme a denúncia do Procon Assembleia, os equipamentos não cumprem as normais do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o que levou a Justiça a acatar o pedido do Procon para suspender a aplicação das multas.

O nome da empresa contratada por Teresa é Data Traffic, a mesma apontada por envolvimento no esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira, cuja denúncia foi apurada pela Comissão Parlamenta de Inquérito (CPI), que chegou a pedir a quebra de sigilo bancário e telefônico da empresa, durante a Operação Monte Carlo, a fim de apurar ligações do Governo de Goiás com Cachoeira.

O curioso nesse caso, chamado de “Cachoeira Gate”, é que a empresa tinha como sócio o irmão do advogado do então governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que é o mesmo no caso em Boa Vista, só que agora advogando para Jucá. Lá a licitação foi de R$3,3 milhões. Na época do escândalo, em 2012, a resposta dada à imprensa nacional foi a mesma dada à Folha de Boa Vista agora: “O advogado Almeida Castro disse que nunca participou do dia a dia da Data Traffic ou foi à sua sede (…)”.

É preciso tirar a limpo

Agora Prefeitura terá que explicar, em detalhes, tudo sobre o sistema de monitoramento e fiscalização eletrônica do trânsito boa-vistense. E os órgãos fiscalizadores, mais que nunca, têm a obrigação de verificar se este estranho contrato estava ou não lesando o contribuinte, se os equipamentos estão dentro do padrão exigido pelo Contran e, ainda, se o contrato sem licitação beneficiou alguém e se também se tramitou dentro da legalidade. Todo esse caso cheira mal e é preciso tirar isso a limpo.

Sinais vindo da Câmara

Algo muito estranho está ocorrendo na Câmara Municipal de Boa Vista. O 1º secretário da Mesa Diretora, vereador Rômulo Amorim (PTC), foi à Tribuna da Casa e denunciou o desrespeito ao Regimento interno. Ele disse que foi assinar uma prestação de conta, mas o documento já havia sido assinada pelo 2º secretário, vereador José Francisco Albuquerque (PCdoB). Em seu pronunciamento, Amorim relatou que teme possível fraude diante da quebra de prerrogativa de suas atividades como 1º secretário.

Caso preocupou vereadores

A denúncia é séria, por isso merece uma atenção por parte dos órgãos fiscalizadores. Diante da gravidade da fala do vereador, o grupo que comanda a Mesa Diretora mostrou-se preocupado e visivelmente constrangido. O vereador Ítalo Otávio (PR) tratou logo de pedir que o assunto fosse “tratado internamente”. Quem estava presente à sessão logo disse que isso seria uma maneira de abafar o assunto, Será?

Defesa pessoal às mulheres

No mês das mulheres, uma parceria vai levar aula aberta de defesa pessoal para comunidade, em especial para o sexo feminino. Será nesta quinta-feira, 22, na Praça Mané Garrincha, no bairro Tancredo Neves, zona Oeste a partir das 18h30. Como parte das atividades em comemoração ao Dia da Mulher, a iniciativa conta com apoio do Fundo da População das Nações Unidas (UNFPA), Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e Organização Internacional para as Migrações (OIM) em parceria com a Universidade Federal de Roraima (UFRR). Também conta com o apoio da Prefeitura de Boa Vista, Defensoria Pública do Estado, Núcleo de Mulheres de Roraima e Coordenação de Políticas Públicas para as Mulheres da Setrabes.

Projeto ‘Escuta Diversa’

Projeto está sendo implantado em Roraima (FOTO: DIVULGAÇÃO)

A aula será ministrada pela campeã brasileira Yvone Duarte e pelo professor de educação física e mestre de Jiu-Jitsu Pascoal Duarte. Yvone é professora de Jiu-Jitsu e defesa pessoal, tendo iniciado a parceria em 2017 com o projeto “Escuta Diversa” na Universidade de Brasília (UnB), empregando técnicas da modalidade para a defesa de pessoas em situação de vulnerabilidade social, como mulheres e população LGBTT. Em Boa Vista, ela e seu irmão, o professor Pascoal Duarte, vão iniciar o projeto em parceria com a UFRR. A proposta é levar as aulas de defesa social e rodas de conversa para pessoas que estejam sendo ameaçadas, com seus direitos violados e dignidade e integridade ameaçadas.

Efeitos de uma execução

Assassinato de Marielle na capa do Washington Post de hoje (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Se queriam calar a voz de uma liderança dos movimentos sociais na corrupta política do Rio de Janeiro, a execução da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do seu motorista Anderson Gomes acabou por se transformar em um símbolo mundial de resistência. Nem a imprensa brasileira deu o devido destaque ao assassinato na noite em que o carro dela foi atacado pelos pistoleiros. Os desdobramentos do caso podem até influenciar na disputa política das eleições deste ano.

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.