EM PAUTA

Share This:

Jucá tem muito que se preocupar

Se a prisão do ex-presidente Lula da Silva (PT) realmente representa uma nova fase no combate à corrupção no país da impunidade, então a lógica seria os políticos colocarem suas barbas de molho, muito embora o Supremo Tribunal Federal (STF) ter um histórico de nunca ter condenado um político com mandato, em especial os enrolados na Operação Lava Jato.

*

Neste sentido, haveria muitos políticos que teriam que se preocupar neste momento idealizado pelos que creem numa nova realidade no Brasil. Um deles seria o senador Romero Jucá, presidente nacional do MDB e líder do governo no Senado, que já chegou a acumular 33 inquéritos e outros processos no STF, conforme levantamento que consta no Folha Transparência – Uol (clique aqui e veja)

** 

Porém, a impunidade no país chegou às raias do absurdo, a ponto de indignar, mas não mobilizar os brasileiros. Não foram apenas erros, mas omissões e lentidões que atrasam processos e favorecerem políticos. Não se pode esquecer que Jucá, em fevereiro, teve um processo arquivo por prescrição, ou seja, depois de 14 anos de demora e lentidão, o processo teve que ser arquivado por ter passado o prazo.

***

É isto que tira o alento dos que conhecem as artimanhas do poder. Se realmente a prisão de Lula representa esse duro golpe contra a corrupção na política brasileira, então Jucá teria muito com o que se preocupar. Porém, a apertada votação no STF no julgamento do Habeas Corpus de Lula mostrou que não é bem assim. O próprio Jucá já falava de um grande acordo, “com o Supremo, com tudo”. Então, só restaria o eleitor roraimense fazer uma faxina moral por meio do voto.

Novas conversações

Jucá tem muito a se explicar a aliados (FOTO: DIVULGAÇÃO)

A desistência da prefeita Teresa Surita (MDB) de concorrer ao Governo do Estado, nas eleições deste ano, provocou uma nova configuração na disputa, entendimentos estes que vão perdurar até momento antes das convenções partidárias. O senador Romero Jucá (MDB) já disse que terá Teresa com sua cabo eleitoral e que agora o grupo irá para novas conversações a fim de decidir, até julho, se irá ter um nome próprio ou irá partir para uma composição. Chegou a hora de Jucá receber o troco, quando ignorou seus aliados, em especial dentro da Assembleia Legislativa.

Sem acordo com Suely

Suely Campos no “passinho do 11” (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Romero Jucá só deu uma certeza: que não há qualquer tipo de acordo com a governadora Suely Campos (PP). Afinal, o senador e todos sabem que ela faz um governo sofrível e somente o fato de ter a máquina nas mãos a credenciam a dar algumas ordens e cooptar apoios, como tem feito para compor sua base no Legislativo. Ele negou qualquer reunião com outros políticos no dia anterior ao da desistência de Teresa Surita.

Outro lado da moeda

De outro lado, o deputado Mecias de Jesus (PRB) vem desenhando sua candidatura ao Senado. Depois de recusar o convite para compor a chapa da governadora Suely Campos (PP), como vice, deixando transparecer uma traição, o parlamentar disse que jamais se coligará com o senador Romero Jucá, seu principal desafeto de outros tempos. Ele acena para uma candidatura independente ou mesmo uma composição com o empresário Antônio Denarium (PSL) ou com o senador Telmário Mota (PDT), pré-candidatos ao Governo do Estado.

Esperando por resposta

Porém, o PSL tem ainda muito o que conversar para acertar as candidatura ao Senado, pois por lá já tem o pastor Isamar Ramalho, que inclusive tem sua foto divulgada em outdoors ao lado de Denarium e o deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato a presidente. Correndo por fora tem ainda o ex-senador Mozarildo Cavalcante, já filiado à sigla e dizendo que aguarda decisão do partido para concorrer ao Senado.

Teresa diz que ainda será

Teresa Surita agora apela pra Deus

A prefeita Teresa Surita (MDB) agora faz questão de passar para o público que deixou o esoterismo de lado. Seus vídeos frisam sempre Deus como seu guia e mestre. No vídeo divulgado em seu Face, ainda na sexta-feira, 06, a prefeita fala que sua decisão foi saberia guiada por Deus e que “o tempo de Deus não é o tempo dos homens”. Disse que pensou bem para honrar a promessa que fez aos eleitores que iria ficar na Prefeitura por quatro anos e que vai “adiar o sonho” de ser governadora para depois que concluir seu último mandato como prefeita.

Curso sobre Regimento Interno

Essa é para quem vai fazer o concurso público da Assembleia Legislativa. O Regimento Interno do Poder Legislativo será tem de um curso oferecido pela Casa, já que esse é um dos conteúdos comum a todos os cargos oferecidos no certame. As inscrições podem ser feitas na Escola do Legislativo Cursos Preparatórios – unidade Silvio Botelho, localizada na Avenida Solon Rodrigues Pessoa, 1.313. O concurso público da Assembleia está com inscrições abertas no site da Funrio (www.funrio.org.br).

Regimento Interno é imprescindível para candidatos (Foto: SupCom ALERR)

Aulas iniciam hoje à noite

O curso inicia nesta segunda-feira, 09, das 18h às 22h, ministrado pelo professor Daniel Anjos, com carga horária 16 horas. As demais aulas acontecerão nos dias 11, 13 e 16 deste mês. Daniel é diretor de Assistência e Controle do Processo Legislativo, setor que trabalha diretamente com o Regimento Interno. Segundo ele, a necessidade de conhecimento nesta área pode ser fundamental na aprovação do concurso, que inclui as questões administrativa e de pessoal, além das funções do Legislativo, como a de fiscalizar.
.

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.