EM PAUTA

Share This:

O monitoramento precisa continuar

Prefeita Teresa Surita: sob monitoramento (FOTO: FOLHA BV)

A desistência de ser candidata ao Governo de Roraima não retira a prefeita Teresa Surita (MDB) da linha de frente das críticas e do monitoramento por parte da sociedade, até porque ela será peça fundamental para tentar reeleger o senador Romero Jucá (MDB), que tinha o plano maligno de controlar os cofres públicos da Prefeitura de Boa Vista e do Governo de Roraima, algo que ele vem tentando há tempos, inclusive nas últimas eleições para governo ele tentou empurrar o filho, o ex-deputado Rodrigo Jucá, como vice-governador na chapa do então governador Chico Rodrigues, que acabou não vingando.

*

Monitorar Teresa não significa que ela não deveria se colocar como cabo eleitoral de luxo de Jucá. Longe disso, pois como política e cidadã, Teresa tem o direito de pedir votos para quem ela quiser. O que não pode é querer usar a estrutura municipal para, a qualquer custo, influenciar o pleito a fim de permitir que Jucá volte ao Senado e mantenha algo tão precioso em tempos de Lava Jato e prisão de Lula (PT): a imunidade parlamentar.

**

Afinal, o tempo urge por uma campanha eleitoral limpa, em que o dinheiro não compre os eleitores e a máquina pública não seja usada desavergonhadamente para beneficiar candidatos – e isso vale também para a governadora Suely Campos (PP), que deverá sair para tentar a reeleição e terá a máquina em suas mãos, o que deve ser uma preocupação constante de monitoramento.

***

Teresa Surita deve ficar sob monitoramento intenso para que ela cumpra sua missão para a qual foi eleito, que é governar uma cidade atualmente sitiada pelo êxodo de venezuelanos e com vários problemas nos principais setores. E isso sem falar nas denúncias de supostos esquemas que a rodearam nas últimas semanas. Ela está devendo muitas explicações e é isso o que a sociedade precisa cobrar para que haja transparência em sua administração.

Infância abandonada

Prédio está se deteriorando com o tempo ao lado do posto de saúde do Cidade Satélite

Embora a prefeita Teresa Surita esteja divulgando que tem trabalhado pela primeira infância, não é isso o que os fatos demonstram. No bairro onde Teresa mora, o Cidade Satélite, na zona Oeste, três obras de escolas pró-infância estão inacabadas e abandonadas. Os prédios estão sendo deteriorados pelo tempo e pelos vândalos. Um dos prédios abandonado fica na rua da unidade de saúde do bairro, perto da principal praça. Outro está ao lado de uma invasão nas proximidades de uma caixa d’água abandonada pelo Estado. A terceira obra abandonada está em um terreno ao lado do Residencial Vila Jardim.

 

Necessidade ampliada

São três prédios desse porte largados ao descaso no Cidade Satélite

Essas escolas são imprescindíveis para aquele bairro, que se tornou um dos mais populosos de Boa Vista, com a implantação de conjuntos habitacionais verticais, o maior deles o Residencial Vila Jardim, necessidade esta ampliada com a chegada de centenas de venezuelanos naquele setor da cidade, além da ocupação da área de interesse social João de Barro. O Cidade Satélite tem crescido e as creches são importantes para evitar que crianças fiquem fora da escola desde cedo.

Pagamento no sacrifício

O cambaleante governo Suely Campos (PP) nem consegue mais cumprir um calendário de pagamento dos servidores públicos. Agora o funcionalismo depende das datas das transferências do Fundo de Participação dos Estados (FPE), que são creditados nos dia 10, 20 e 30 de cada mês. E ontem o Governo de Roraima anunciou o pagamento dos servidores da Administração Direta, creditado hoje após recebimento da primeira parcela do FPE de abril. Os demais só Deus sabe.

‘Capilé’ na fronteira

Propina a fiscais nas fronteiras em investigação

O que é de desconfiança de muitos passou para ser uma certeza: o recebimento de “capilé” (dinheiro de propina na gíria de quem pratica ilícitos) por parte de servidores público no posto de fiscalização na fronteira com a Venezuela, ao Norte do Estado, e com a Guiana, a Leste. Foi isso que apontou a operação desencadeada ontem, pela Polícia Federal, que investiga crimes fiscais na Zona Franca de Manaus e Área de Livre Comércio em Boa Vista. Intitulada Operação Capilé, a PF investiga corrupção, operação de câmbio ilegal, lavagem de dinheiro e organização criminosa em Roraima, Amazonas, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Espírito Santo.

Afastamento de servidores

A operação dessa manhã foi parar cumprir 29 mandados de busca e apreensão, oito mandados de prisão preventiva e três mandados de afastamento de servidores públicos do cargo, deferidos pela Justiça Federal em Roraima, resultado do Inquérito Policial iniciado em novembro de 2016. Os envolvidos são acusados de captar dólares e euros nas fronteiras, que eram guardados pelo chefe do grupo, em Boa Vista, para que outros envolvidos transportassem, duas ou três vezes por semana, valores de R$ 100 mil a R$ 200 mil por viagem para Brasília e São Paulo. Lá o dinheiro era entregue em casa de câmbio, sob gerenciamento do chefe do esquema.

Propina na Sefaz e Suframa

Os envolvidos ainda são acusados de adquirir empresas de fachada em Manaus e Boa Vista, as quais passavam a gozar de isenção fiscal na Zona Franca de Manaus e na Área de Livre Comércio em Boa Vista, com envolvimento de contadores e sócios laranjas. Essa empresa adquiria mercadorias com isenção, as quais eram enviadas para outros estados, com uso indevido de benefício fiscal e pagamento de propina a servidores da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) do Amazonas e de Roraima. Era uma verdadeira festa de corrupção.

E o tráfico de armas?

Mulher presa com armas na rodoviária de Boa Vista

Sabendo de festival de propina, é de se questionar a denúncia feita por uma brasileira que trabalha na Venezuela, no mês passado, conforme divulgado pela Em Pauta, que estaria havendo facilitação de tráfico de armas na fronteira com aquele país, com participação de taxistas que fazem viagens internacionais entre as duas fronteiras e intermunicipais de Pacaraima até Boa Vista. As autoridades fizeram silêncio sobre o assunto, inclusive o Exército incumbido de fiscalizar na fronteira.

Eleitores terão atendimento

Quem vai votar em 7 de outubro, data do primeiro turno das Eleições Gerais de 2018, têm até 9 de maio para transferir, regularizar ou pedir a emissão da primeira via do título eleitoral. Para transferir o título, o eleitor deve residir há pelo menos três meses no novo município, sendo necessário no mínimo um ano da data do alistamento eleitoral ou da última transferência do título. Para facilitar a vida dos eleitores, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por meio da Justiça Eleitoral Itinerante, vai enviar equipes de atendimento para todos de municípios. Veja o cronograma abaixo:

 

 

 

MUNICÍPIO LOCAL DE ATENDIMENTO PERÍODO
Iracema – Sede Escola Iracema Aguiar 18 a 20 de abril
Iracema – Campos Novos Escola Manoel Agostinho 21 e 22 de abril
Iracema – Roxinho Escola José Pereira de Araújo 19 de abril
São João da Baliza -Sede Esc. Francisco Ricardo de Macedo 18 a 21 de abril
São João da Baliza – Vicinal 29 Esc. Cristóvão Colombo 20 de abril
Boa Vista – 1ª Zona Eleitoral Avenida Santos Dumont, 760, São Pedro Até 9 de maio
Boa Vista – 5ª Zona Eleitoral Av. Nazaré Filgueiras, 2077, Pintolândia Até 9 de maio
Caracaraí – 2ª Zona Eleitoral Praça do Centro Cívico, s/n.º, Centro Até 9 de maio
Alto Alegre – 3ª Zona Eleitoral Rua Antônio Dourado de Santana, s/n.º, Centro         Até 9 de maio
 São Luiz – 4ª Zona Eleitoral Avenida Ataliba Gomes de Laia, s/n.º         Até 9 de maio
 Mucajaí – 6ª Zona Eleitoral Av. Padre Ricardo Silvestre, 269 – Centro        Até 9 de maio
Pacaraima – 7ª Zona Eleitoral BR-174, s/n – Centro

 

       Até 9 de maio
Rorainópolis– 8ª Zona Eleitoral Av. Francisco Reginatto, s/n.º–Parque Amazônia        Até 9 de maio
Caroebe – Sede Escola Tereza Teodoro Rua Principal, s/nº – Sede 4 a 9 de maio
Cantá – Sede Câmara Municipal R. Lúcia Eduardo Queiroz, s/nº – Centro 4 a 9 de maio
Bonfim – Sede Fórum da Comarca Rua Maria Deolinda de Franco Megias, s/nº 4 a 9 de maio
Normandia – Sede Escola Mariano Vieira Rua Beatriz Macedo, s/nº Centro 4 a 9 de maio
Amajari – Sede Câmara Municipal Avenida Tepequém, s/n, Centro 4 a 9 de maio
Uiramutã – Sede Escola Joaquim Nabuco Rua Cecy Mota s/nº – Centro 4 a 9 de maio
Fonte: TRE-RR
OBSERVAÇÃO: Os eleitores de Bonfim, Cantá e Normandia também podem se dirigir à sede da 5ª Zona Eleitoral em Boa Vista.

 

 

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.