Processo que começa a se desenhar

Share This:

Jessé Souza*

Aos poucos, o cenário eleitoral que o povo de Roraima vai encarar, neste ano, começa a se definir, com os postulantes ao Governo do Estado definindo os nomes de seus prováveis vices na chapa majoritária. As pré-candidaturas já anunciadas nada de surpresa trouxeram além dos conchavos familiares e dos currais eleitorais antigos.

O governo de Suely Campos (PP) fala por si só e, de quebra, desde que seu grupo começou a governar, ele faz o favor ao eleitorado de falar e se comparar ao seu antecessor, o governador Anchieta Junior (PSDB). Ao assumir o governo, mostrou logo sua credencial ao debutar na mídia nacional com a denúncia de nepotismo, quando contratou 19 parentes no início de sua administração, em 2015.

Por último, faltava o candidato do agronegócio, Antonio Denarium (PSL), definir seu vice, o que foi divulgado esta semana. Trata-se de um médico, o que significa que o candidato dos empresários compôs com o representante de um grupo que sempre teve influência na política partidária, valendo-se da importância desse profissional no setor de saúde, setor este que, de tão precário, sempre foi usado como moeda eleitoral.

Obviamente que nem todos os médicos fazem parte desse jogo eleitoreiro, mas historicamente o eleitor roraimense elegeu médicos para os legislativos, o que nunca significou melhorias para a saúde pública. Pelo contrário, só serviu para aumentar o valor dessa moeda de troca, inclusive foi isso o que fez esse atual governo ao entregar a saúde em troca da garantia de sua pré-candidatura no seu partido.

É por isso que o eleitor roraimense precisa ficar atento ao que se desenha nessa disputa eleitoral, a exemplo de unir os representantes do grande negócio, que sempre estiveram com os seguidos governos em busca de privilégios, com um representante da classe médica, esta que sempre esteve no poder, direta ou indiretamente, mas faz vistas grossas ou compactuou com a lastimável situação da saúde pública.

Ainda há muito caminho pela frente até outubro, mas o eleitor roraimense precisa ter as ferramentas para fazer uma análise crítica das pré-candidaturas, as quais começam a ser oficializadas a partir de hoje. Esse exercício é importante para o processo eleitoral que se inicia, o qual será um dos mais complexos diante do cenário atual pelo qual o país passa.

*Editor do site Roraima de Fato
jesseroraima@hotmail.com
Acesse: www.roraimadefato.com/main

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*