Visita a cavernas também é atrativo em Tepequém

Share This:

Cavernas do Igarapé Preto, na Serra do Tepequém, são outra atração para quem gosta do turismo de aventura

Esse é o salão de uma das cavernas ao sopé da Serra do Tepequém (FOTOS: JESSÉ SOUZA)

Na Serra do Tepequém, a 210Km de Boa Vista, no Município do Amajari, Norte do Estado, as cachoeiras são apenas parte dos atrativos aos que buscam lazer e turismo de aventura. A região também reserva locais para quem quer viver a incrível experiência de explorar uma caverna sem precisar caminhar muito e na companhia de guias experientes, os quais pertencem a geração de um garimpeiro pioneiro da região.

 

Roni Buriti é um dos guias que explora as cavernas

Existem três cavernas que podem ser exploradas pelos vistantes bem perto da Vila do Paiva, mas existem outras ainda não conhecidas. No sítio da família localizado no Igarapé Preto, com entrada à direita antes de chegar na ponte de madeira que dá acesso à vila, o comerciário Raimundo Colares Guimarães, 46, conhecido por todos como Roni Buriti (Whats 95-99168-5180), é um dos guias que conhece o caminho das pedras e das cavernas. O ponto de entrada do principal buraco fica praticamente aos fundos dos terrenos de propriedade da família.

 

Filho de um dos garimpeiros que chegaram primeiro a Tepequém, no final da década de 1930, Benedito da Gama Guimarães, Roni conhece bem a região e os meandros de todos os locais onde os exploradores de minério iam em busca do diamante. As cavernas que antes embalavam o sonho de ficar rico dos garimpeiros hoje é local privilegiado para quem quer conhecer o interior de uma caverna com todos os seus mistérios e segredos.

A exploração de cavernas no Igarapé Preto é pouco conhecida do grande público, mas Roni e seus parceiros de aventura levam grupos de turistas ao interior delas com toda segurança que essa atividade exige. A fenda que dá acesso à primeira caverna fica a apenas 500 metros da casa de Roni, praticamente aos fundos de sua propriedade, ao sopé da Serra do Tepequém. Os aventureiros só precisam subir 41 metros de elevação por uma trilha sobre grandes pedras e entre pequenas árvores, sem muito esforço.

Caminho até a entrada é subindo por entre as pedras

São aproximadamente 20 minutos de caminhada até a entrada da caverna principal, ainda não explorada por pesquisadores, por isso quase nada se sabe cientificamente a respeito do que pode ser encontrado no interior dos buracos, a não ser os morcegos e rãs. Mas não se pode criar grandes expectativas científicas, pois essas cavidades foram muitos exploradas pelo garimpo durante décadas.

Segundo Roni, as águas do Igarapé Preto que descem dos 1.110 metros da Serra de Tepequém acabam entrando pelas fendas e saindo um pouco mais à frente, proporcionando uma água corrente no período de chuvas. Na primeira caverna, No verão forte, a água pode secar completamente ou mesmo ficar empossada. No período de chuvas, é possível ver uma cascata que cai em uma dos salões da segunda caverna.

Essa é a recepção da caverna principal no Igarapé Preto

Não se sabe exatamente a extensão das cavernas, mas Roni disse que já percorreu ao menos 100 metros da primeira caverna, cuja entrada exige um pouco de cuidado para entrar por um buraco estreito entre as pedras. Na segunda, a entrada é mais fácil e o salão que serve de recepção proporciona o que Roni chama de sala e cozinha, com ventilação natural por meio de buracos no “teto”, o que daria inclusive para montar um acampamento, como faziam os antigos garimpeiros que exploraram a região no auge do diamante.

Veja no site Roraima de Fato: passeio a cavernas do Igarapé Preto, na Serra do Tepequém http://roraimadefato.com/main/2018/11/06/visita-a-cavernas-tambem-e-atrativo-em-tepequem/

Publicado por Jessé Souza II em Terça-feira, 6 de novembro de 2018

 

NOTA DO EDITOR – O site Roraima de Fato fez apenas um passeio para conhecer a entrada de duas cavernas, com acesso somente ao local chamado pelo guia de “recepção”, por isso não foi programado levar equipamentos necessários, como cordas e capacetes. Mas o passeio com os turistas é feito com todos os cuidados, percorrendo por pelo menos uma hora pelos salões e labirintos.

 

VEJA VÍDEO COMPLETO DO PASSEIO NO YOUTUBE:

 

 

Um Comentário

  1. Pingback: Passeio nas cavernas do Igarapé Preto, na Serra do Tepequém – RORAIMA DE FATO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*