Angu e o boneco biruta

Share This:

Jessé Souza*

O governo de Antônio Denarium (PSL) vem sendo cercado por seguidas trapalhadas, bem típico de quem não tem o controle completo da administração. Se no desastroso governo da “finada” Suely Campos o problema era sua família, que mandava e desmandava, no governo atual o angu administrativo é mexido por muitos.

No faz-e-desfaz administrativo, o mais recente episódio foi a decisão do vice-governador Frutuoso Lins, que anunciou o cancelamento dos concursos públicos, gerando uma onda de protesto em frente ao Palácio do Governo, para depois o próprio governador afirmar que a questão do concurso ainda será revista. Afinal, quem manda nesse governo? Até agora ninguém sabe.

Nesse angu político, nem o fato de o vice ser um médico possibilitou que o setor de saúde ganhasse esperança de melhorias. Pelo contrário, o governo até anunciou corte na verba para a saúde, em um evidente sinal de incompetência, uma vez que há outros setores menos urgentes que podem muito bem ir para a guilhotina. Até mesmo o mais mediano governante sabe que cortes na saúde são inadmissíveis.

Enquanto isso, o médico vice quer mostrar serviço, atropelando o titular do cargo e se metendo até mesmo na coleta de lixo no Rio Branco, campanha realizada pela Companhia de Água e Esgoto de Roraima (Caerr), enquanto ele deveria estar coletando informações nas unidades de saúde e contribuindo para tirar o setor do caos.

Em vez disso, foi preciso a comitiva de ministros enviada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) a Roraima para fazer uma fiscalização no único hospital público de referência do Estado, o falido HGR. Uma vergonha para quem tem um médico vice que vive querendo tomar decisões na ausência do governador. Por que não monta seu gabinete dentro do Hospital Geral de Roraima, já que ele quer agir como um governador paralelo?

A propósito, depois da mancada com a visita surpresa dos ministros ao HGR, no mês passado, o governo anunciou uma série de visitas aos órgãos públicos a fim de verificar a situação desses locais. Mas por que parou? Ou, se não parou, por que o resultado dessas blitze não está sendo divulgado para o público? Ou tudo não passou de jogo de cena para aliviar a grande mancada?

Vale lembrar que, quando esse governo assumiu como interventor, em dezembro passado, o militar interventor da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) colocou todos os servidores na fila do recadastramento, sob o argumento de eliminar os “fantasmas”. Que fim levou esse levantamento? Havia servidores fantasmas? Quantos fantasmas? Quem são eles? Por que não se ouve mais falar nisso?

O povo que depositou a confiança nesse governo quer ver o fim dessa trapalhada e do angu administrativo. O tempo urge para que se coloque a casa em ordem, principalmente Educação, Segurança e Saúde. O eleitor quer ver Denarium agindo como governador, e não como um boneco biruta que se move ao sabor do vento, sem sair do lugar.

*Idealizador do site Roraima de Fato

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Um Comentário

  1. Será que o Jucá não está por trás disso aí todos sabemos do poder demoníaco desse bandido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.