Chegou a hora da verdade

Share This:

Jessé Souza*

A sessão de abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima (ALE-RR), na manhã desta terça-feira, 19, foi marcada por discursos que selam um pacto em favor do Estado, conforme falou o presidente da Casa, deputado Jalser Renier (SD), e a Mensagem do Executivo, lida pelo governador Antônio Denarium (PSL).

Embora tenha sido um momento importante, que remete o povo à esperança de que a situação de Roraima possa mudar para melhor, a reação do público presente, na galeria, que acompanhava a sessão, serviu de termômetro sobre como será a administração do atual governo e dos trabalhos dos deputados dessa 8a legislatura que ora inicia-se.

Compostos por concurseiros e algumas lideranças de servidores públicos concursados, os manifestantes ensaiaram uma vaia no início da fala do governador e por várias vezes gritaram em protesto, obrigando o presidente da Assembleia Legislativa a interromper o discurso de Denarium, por duas vezes, para pedir respeito à Casa e à Mensagem governamental que estava sendo lida.

O cancelamento de concursos públicos anunciados e os iniciados no governo anterior, além do anúncio do fim de reajuste salarial e de outros benefícios dos servidores estaduais, despertaram a indignação contra o governo Denarium. E não adiantou o governador dizer que o Estado está quebrado nem recitar a poesia de Fernando Pessoa, sobre construir um castelo com as pedras lançadas pelos críticos. O descontamento é grande e a tendência é aumentar.

Embora tenham surgidos gritos e aplausos quando Jalser Renier anunciou que a Casa iria receber as lideranças dos manifestantes, logo após o fim da sessão, não haverá conformismo por parte de ninguém, porque o momento é de sobrevivência, de cortes, de contenção, de ranger dos dentes, consequência das décadas de desmandos, sempre encabeçados por um Executivo que nunca cumpriu sua parte e por não tomar medidas contra a corrupção.

O povo sabe muito bem dessa realidade, pois confiou no governo da “finada” Suley Campos (PP) com esperança de mudanças, porém viu a pior administração de todos os tempos, tanto devido à incompetência quanto aos desmandos de todos os tipos. Não à toa o governo dela terminou acoçada por operações policiais, uma delas inclusive prendeu o filho da governadora, acusado de corrupção.

Agora é necessário tirar as caveiras do armário e começar a construir uma nova realidade, com lágrimas e sacrifício de todos. A Assembleia Legislativa confirmou que fará sua parte. Faltam os demais poderes anunciarem seu naco de contribuição. Porém, sabemos que é ao Poder Executivo que cabe um esforço maior, para enxugar a máquina, contendo gastos e adotando medidas sérias para tirar Roraima do buraco.

O governador Denarium anunciou o projeto Roraima 2030, uma ação para enfrentar os problemas e superar a crise, reunindo esforços de todas as secretarias. Em governos passados foram lançados projetos semelhantes, que nunca surtiram efeito algum, a exemplo de um que foi comandado pelo então senador Romero Jucá (PMDB) no governo do falecido governador Anchieta Junior (PSDB). Foi um fiasco pelos motivos óbvios de que tudo que era comandado pelo grupo de Jucá tinha apenas finalidade eleitoreira.

Como já temos noção do tamanho do buraco, conhecemos os exemplos dos desmandos e corrupção de governos anteriores, do oportunismo de grupos políticos e, agora, diante da sinalização de um pacto por Roraima, o que resta ao povo é cobrar para que tudo seja fiscalizado e que o governo Denarium assuma sua responsabilidade e tome um rumo que sinalize mudança dessa realidade de terra arrasada. De promessa todos estão ressabiados, agora é hora da verdade.

*Idealizador do site Roraima de Fato

Compartilhe este post:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.